Tudo o que você quer saber sobre “Sem Juízo” de Clara Tannure e Dedé Santaklaus

Depois do hit que foi “Chora Boy”, nossa diva #Lokal Clara Tannure foi esperta de não demorar muito para nos dar uma nova produção de respeito. Dessa vez, a música “Sem Juízo” é uma parceria com Dedé Santaklaus (que produziu o single de debut da cantora) e o clipe repete a equipe de sucesso de seu primeiro clipe.

Como estamos aqui pra divulgar e enaltecer essa equipe de artistas locais chiquérrimos, entrevistamos Clara Tannure, Dedé Santaklaus, Leandro Guerra (Direção) e Isaque Gandra (Styling) pra contar tudinho que você quer saber sobre esse clipe bafo!

Como foi a concepção desse segundo passo na carreira, depois de “Chora Boy”, que fez bastante barulho e chamou muita atenção?

Clara Tannure: Esse segundo passo na minha carreira vem como resposta aos ataques que venho sofrendo na internet por causa do primeiro clipe. Chora Boy, apesar de ter sido um projeto que deu super certo e que abriu muitas portas pra mim como artista, foi também alvo de muitos ataques e críticas do público cristão que me conhecia do Crianças Diante do Trono. Apesar da repercussão positiva. o clipe recebeu também uma série de comentários maldosos, machistas, homofóbicos e transfóbicos. Sem Juízo é uma resposta aos que se incomodam com a mensagem que eu estou trazendo, eles precisam entender que eu não falo só por mim, eu falo por muitos. Pelo direito de fazer arte, de se expressar, de amar! É sobre empoderamento e resistência, a mensagem que eu quero passar é justamente essa: aceita! Eles podem criticar, mas não podem me parar.  

Leandro Guerra: Bom, acho que a criação de Sem Juízo começou com o lançamento do nosso último projeto, Chora Boy. O videoclipe que soltamos teve um número expressivo de visualizações e a repercussão foi maior do que esperávamos. Recebemos o apoio de muita gente, o que nos deixou bastante empolgados. 
Isso é muito importante para nós, do ramo da arte, da moda, do cinema e audiovisual. A gente sabe como é difícil a realidade para esses profissionais no Brasil e, se você está fora do polo Rio-São Paulo, ainda mais.

 Então todos nós saímos da última produção com muita garra para criarmos mais. Eu, o Isaque, o Iuri e o Chagas decidimos fundar uma produtora audiovisual, a BRAZA, para que pudéssemos, além de nos posicionar no mercado, unir nossas forças e formar um núcleo de desenvolvimento de projetos criativos que intercruzassem os universos da arte, moda, música, fotografia, vídeo e cinema.

Vocês já tinham trabalhado juntos em “Chora Boy”, mas como foi a idealização de um feat entre Clara Tannure e Dedé Santaklaus?

Clara Tannure: Quando procurei Dedé com a ideia de Chora Boy, ainda não éramos amigos. A gente se conhecia pouco, trocávamos ideia nas festinhas de música eletrônica de BH, mas não éramos próximos. Depois do processo de produção e gravação da música a gente começou a fazer shows juntos e a relação foi se estreitando, aí rolou de o Dedé me convidar para fazer uma música com ele! Ele fez o instrumental e fomos escrevendo e trabalhando juntos. Tô muito feliz com o resultado! Dedé, além de um amigo, é um profissional incrível e acho que a gente ainda vai produzir muito juntos!

Dedé Santaklaus: Durante a produção do Chora Boy já planejavamos um feat. Depois do lançamento, da reação que ele teve e dos ataques que sofreu, pensamos em dar uma debochada em cima disso. Produzi um beat, e mostrei pra clara, ela pirou! O beat eu fiz baseado no reggaeton, mas com uma pegada meio bregafunk. “Tô” viciado. Fizemos vários encontros no Caramelo 47, estúdio aqui na minha casa, pra desembolar a letra. Pensamos em tema, a clara apareceu com um verso e desse verso fiz minha parte. Quando criamos o refrão ficamos na duvida com “o trem pegou”, muito regional. Mas pegou mesmo né, então elas que lutem.

Como foi o processo de criação e concepção para esse clipe de ‘Sem Juízo’ e como a Clara de “Chora Boy” se relaciona como essa nova faceta que vimos no clipe?

Leandro Guerra: Isso de estar em Minas e desejar enaltecer nossa região não saía da minha cabeça. Cheguei a falar com a Clara e com os meninos que eu idealizava muito o próximo clipe recheado de imagens das serras da nossa região. 
Foi mais ou menos no mesmo período que a Clara e o Dedé vieram com uma canção que os dois criaram juntos.

A música é uma resposta aos ataques que a Clara recebe diariamente nas redes sociais. A música tem um instrumental chique que nos encheu de ideias e a letra é carregada de mineirês. Então tudo se encaixou.

Clara Tannure: Essencialmente a Clara é a mesma, né? ainda sou eu! Mas com certeza numa nova fase. A Clara de Chora Boy tava perdendo tempo demais com relacionamentos e aquele foi o momento que eu disse: “chega! vou pensar mais em mim”. A Clara de Sem Juízo tá mais ousada, com sangue nos olhos e se aceitando mais. Ela tá aos poucos deixando de lado o medo do julgamento, parando de pensar “nossa, o que será que vão pensar? será que vão me achar uma pessoa ruim por ser assim?” a cada passo, sabe? Mentalizando que o que importa é quem você é, seus valores, seu caráter, e que quem sabe disso é quem te conhece de fato. A Clara de Sem Juízo entendeu que as pessoas vão falar de qualquer maneira e que a vida é curta demais pra não viver ela do jeito que a gente quer!

Dedé Santaklaus: O clipe foi mega produção. 4 dias de gravação, varias locações, looks monster, serio! O pessoal do Braza e a Gigi deitaram o cabelo, fora as migas e migos que ajudaram no corre. Na hora da gravação foi só gastação pra camera, takes pesados e eu louco pra ver pronto.

No clipe de “Chora Boy” você citou que houveram algumas referências bem popzonas, tipo HSM, Britney e Gaga. Quais são as principais referências dessa vez?

Leandro Guerra: Os filmes de Robert Rodriguez e Quentin Tarantino, principalmente o Grindhouse, foram uma inspiração para esse vídeo. A intro do clipe começa na visão de quem está dentro do porta-malas. É uma resposta pros haters de plantão. A partir daí Clara e Dedé pegam o carro e seguem rumo a diferentes sequências, como parceiros de crime estilo Bonnie & Clyde e Telephone. Isaque veio com o concept de que em cada cena eles estariam vestidos em um disfarce diferente. Filmamos em diversas paisagens da região e o figurino é carregado de um estilo country.

Desde “Chora Boy” os looks dos clipes da Clara tem chamado a atenção. Pra “Sem Juízo”, como foi a concepção geral do styling?

Isaque Gandra: O styling foi pensado inicialmente a partir de referências country bem pop, mas também como se fossem vários “disfarces” dos dois durante todo o clipe, como se fossem fugitivos. “Sem Juízo” rompe total a imagem da clara de “Chora Boy” pra ‘cá’. Nesse clipe a gente vê uma clara bem mais sexy e “adulta” o que acompanha a carreira dela, de lá pra cá.

Foi um desafio, já que além de casar com o estilo de ambos, tinha que ter a ver com a cena e com as referências pro clipe. Mas muita coisa também eu tive que improvisar. Mas o estilo do Dedé e bem moderno, então da pra ficar bem a vontade pra apostar em umas coisas diferentes.

Brinco FrancoGusta para Dedé Santaklaus

Quais foram as marcas escolhidas para o clipe e como foi esse processo criativo de montagem e edição dos looks?

Isaque Gandra: Por ser um clipe BEM mineiro, e com artistas locais, eu sempre dou preferência pra trabalhar marcas locais e também amigos meus no qual acredito no trabalho. Como o clipe tem uma pegada country, eu quis recorrer a brechós, por que tem tudo a ver umas peças mais vintages, como os sapatos usados no clipe e alguns acessórios. O Francogusta e a Peixinha Store, também entram nessa parte de acessórios, com os colares e brincos. A drag Charlotte também ajudou muito, cedendo peruca, bota etc.. O Atelier da Miranda fez um look exclusivo pra gente, todo vermelho, e uma máscara também que o Dedé usa. A gente usa também peças da nova coleção da Dusted Studio que nem foi lançada ainda, mas que são um bafo! E peças da Norb Brand que acabaram de sair da passarela do Minas Trend direto para o clipe, ele me ajudou muito também para o figurino dos dançarinos. A Trash Queen é responsável pelo look que a Clara usa no começo do clipe, a calça vermelha de látex, o top preto e o óculos de peixe que foram desenhados por ela mesma, para o TCC dela e compôs super o clipe, bem o que eu queria para essa cena, em que a inspiração foi o ícone: Leona Vingativa!

Já o look de vaca que o Dedé usa nessa primeira cena, foi feito pelo meu amigo Gabe Faya, dono da marca Gaya Bamba. E o look da cena final, tanto do Dedé quanto da Clara, quem fez foi meu outro amigo, Aislan Batista, que é da minha turma da faculdade e tem um trabalho incrível e minucioso.

(Créditos de todas as marcas presentes no clipe ao final do texto)

E os corres de última hora na produção dos lookinhos? Temos?

Isaque Gandra: Sim! Como sempre tiveram corres a ser feitos de última hora, ainda mais que esse clipe deu muito mais trabalho que “Chora Boy”. Foram 4 dias inteiros de gravações em lugares diferentes, teve dia que a gente chegou lá no Topo do Mundo pra gravar e percebíamos que algo tinha ficado pra trás e não dava pra buscar, daí tínhamos que substituir por alguma outra coisa. Como em uma cena que fomos gravar na serra da rola moça, e eu pedi pra Clara levar um sapato que estava na casa dela, e ela levou um pé de cada na correria. Tivemos que substituir por outro lá. E tivemos cenas também com dublê, então algumas coisas tinham que ser adaptadas para um tamanho um pouco maior. Nesse clipe a clara e o Dedé usam 8 looks cada um. Foi uma aposta muito maior e mais trabalhosa que Chora Boy, “tô” fazendo desprodução até hoje!

Sabemos que você acabou de lançar uma nova produção, mas tem que perguntar: já temos planos para o futuro?

Clara Tannure: O próximo passo é a concepção do meu EP e estruturação do show. Tenho também o sonho de ter uma banda só de mulheres, isso é algo que está nos meus planos também para o próximo ano. Não sei exatamente como será o fluxo das coisas, mas tenho um bom pressentimento sobre 2020 e podem ter certeza de que vão ouvir muito meu nome por aí!

Ainda não viu o clipe de “Sem Juízo?” então corre lá pro youtube gata!

Lucas Assunção

Publicitário formado mas que se identifica como Comunicador. Apaixonado por moda desde os 13 aninhos e querendo resolver todos os problemas da indústria. Só que não dá pra fazer tudo sozinho né, vem comigo?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s