A Crise Climática não é um problema para as próximas gerações, mas para a nossa, e agora?

Nesta semana,  um novo relatório do IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas) sobre as mudanças climáticas acendeu o alerta vermelho para a humanidade. O relatório mostra que grande parte do aquecimento do planeta é decorrente da ação humana e que os impactos já começam a ser sentidos em todas as partes do mundo, mostrando que a emergência climática não é pauta para o futuro, mas para o agora. 

Aponta-se que desde o início da era industrial, com queima desenfreada de combustíveis fósseis, o planeta já se aqueceu em 1,09º Celsius e deve aumentar até 1,5º ao longo das próximas décadas. Algumas das mudanças causadas já são irreversíveis e a conta vai chegar, no entanto, com uma redução drástica das emissões de carbono, é possível evitar as piores consequências das mudanças climáticas – que viriam com o aumento de 2º a 3º graus da temperatura terrestre. 

Em entrevista à Vogue Escandinávia, Greta Thunberg, uma das principais vozes do ativismo climático aponta que: “A indústria da moda é uma grande contribuinte para a emergência climática e ecológica, sem mencionar seu impacto nos incontáveis trabalhadores e comunidades sendo exploradas ao redor do mundo para que alguns consigam aproveitar o fast fashion que tantos tratam como descartável”. 

“Muitos fazem parecer que a indústria da moda está começando a tomar responsabilidade, gastando quantidades fantasiosas em campanhas se mostrando como sustentáveis, éticos, verdes, neutros ou justos. Mas sejamos claros: isso quase nunca é nada além de puro greenwashing” ela continua. 

Parece estranho falar de moda sustentável com um relatório tão alarmante como esse. Foi-se o tempo em que se acreditava que tecidos sustentáveis e materiais recicláveis são a solução. É tempo de reduzir a produção, anular as emissões de gases estufa e compensar os impactos causados e atuar para mitigar as consequências. É importante pontuar que a conta não vai chegar de forma igual para todos, populações mais vulneráveis devem sofrer mais com os impactos da crise climática, em relação direta às desigualdades sociais. 

Os mais vulneráveis devem sentir com mais força os impactos das ações dos mais ricos, quando o assunto é a crise climática. É tempo também de entender e cobrar os principais culpados pela crise que vivemos: as grandes corporações poluentes, a indústria automobilística e o agronegócio. Juntas, a indústria automobilística e as grandes corporações são responsáveis pela maior parte das emissões de gases poluentes e o agronegócio, pela devastação da principal e mais efetiva maneira de sequestro de carbono na atmosfera: as florestas. Além disso, os governos, a nível mundial, precisam atuar fortemente na regulação das emissões de carbono e proteção das nossas florestas. 

Não, a culpa não é da sua geladeira e a maioria das ações precisam de pressão da mídia e dos governos e atuação da grande indústria. No entanto, existem algumas ações que você pode tomar para ajudar a mitigar os impactos da crise climática como: repensar a forma como vivemos, nos transportamos, nos alimentamos e votamos. 

Algumas ações que você pode (realmente) tomar para reduzir os impactos da crise climática: 

  • Reduzir o uso de carros ou mudar para carros elétricos
  • Reduzir a emissão de gases estufa
  • Reduzir ou anular seu consumo de carne e derivados de animais
  • Voar menos de avião
  • Comprar menos e apenas de empresas que compensam sua pegada de carbono
  • Se mobilizar
  • Votar em políticos que tenham planos de ação de combate à crise climática
Santo de Casa

O Santo de Casa é um portal independente que busca democratizar e desconstruir as narrativas da moda. Produzimos conteúdo sobre moda independente, arte, cultura e design! Além de uma cobertura mara sobre tudo o que rola na cena de Moda Local de Beagá, de onde somos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s